A importância do líder em momentos de crise

Nos últimos meses experimentamos uma crise global com circunstâncias e exigências sem precedentes na história mundial recente. E para sobrevivermos a este cenário atípico, tem sido necessário que verdadeiros líderes assumam seu papel diante da sociedade e do mercado, direcionados por sua coragem e visão a médio e longo prazo. 

Em um “novo mundo” em construção, fica cada dia mais evidente que o papel da liderança se tornou ainda mais desafiador, afinal, em um novo cenário econômico e profissional, os líderes precisam engajar, apoiar e se mostrar presentes às suas equipes, dando autonomia e confiança aos colaboradores como sempre foi indicado, mas que agora se tornou essencial.  

Isso porque já é sabido que não apenas em momentos de crise, mas a atuação eficaz do líder é fundamental para engajar colaboradores e minimizar riscos para o negócio, independente do atual momento da empresa ou do mercado externo.

Com a pandemia, quem ocupa um cargo de liderança precisou se adaptar ao cenário de forma rápida e para alguns até mesmo de forma intuitiva. Criar novas soluções, lidar com a ansiedade dos profissionais e garantir o bem-estar não é uma tarefa fácil em um período tomado por incertezas, conseguir estimular a produtividade da equipe e manter o nível de engajamento e comprometimento (para alguns à distância pela adoção do home office) tem sido um desafio que precisa ser superado dia após dia. 

Tem uma frase que gosto muito que diz que “uma crise pode expor rapidamente os pontos fortes e fracos ocultos de um líder”, Gene Klann. De fato, este é um momento que exige cautela e clareza para tomada de decisões estratégicas. Neste sentido, a dica é desenvolver a empatia, afinal, cá entre nós – não está fácil para ninguém. Demonstrar preocupação real com os colaboradores, fazer reuniões com a equipe mesmo à distância, pedir feedback, auxiliar colaboradores com dificuldades no trabalho remoto e flexibilizar a rotina de trabalho, são algumas medidas que podem aproximar e fortalecer a relação entre comandante e comandados. 

Além disso, sabemos que os impactos resultantes da maior crise mundial dos últimos tempos ainda serão sentidos por um bom tempo, infelizmente. Mas que também, por mais grave que seja a crise, é preciso liderar com otimismo e esperança de dias melhores. Um líder é aquele que não se desespera, busca transformar a crise em uma oportunidade e o faz com inteligência emocional.

Exatamente neste momento, talvez estejamos tendo acesso aos números mais alarmantes para o mercado brasileiro, consequência dos resultados do primeiro semestre do ano, e é justamente agora que os verdadeiros líderes vão se destacar. 

 

Mais do que nunca, são os líderes que precisarão tomar à frente e direcionar as empresas para que tenham condições reais de se recuperar e permanecer no mercado. Para ajudar neste sentido, elenquei algumas percepções que poderão ajudar quem está à frente de um negócio a se sobressair, são elas:

 

  • Desenvolva habilidades relacionadas a gestão; 
  • Articule os interesses, tanto internos quanto externos;
  • Aprenda a se comunicar de forma eficiente; 
  • Mantenha um canal aberto com a equipe sempre;
  • Estabeleça e verifique padrões de trabalho que podem mudar no pós-pandemia;
  • Promova uma cultura de inovação;
  • Multiplique as boas lideranças através de reconhecimento e incentivo real;
  • Dê o exemplo através de ações coerentes;
  • Foque na solução, não no problema;
  • Inspire, não mande.

 

Não existe mais espaço para um chefe ditador ou que apenas cria regras que ele mesmo não acredita ou não cumpre. Um líder inspirador busca desenvolver uma cultura de trabalho positiva, pautada pela empatia, respeito e propósito da empresa como objetivo final.

Verdadeiros líderes já entenderam que não devem se desgastar ou se concentrar em proteger seu domínio no trabalho. Ao invés disso, precisam expandi-lo, pois seu sucesso depende do sucesso dos outros e de aprender a delegar e não concentrar tudo em suas mãos. São essas características que farão de você um líder e do seu negócio uma empresa preparada para o “novo normal”. 

 

BENITO PEDRO VIEIRA SANTOS

Especialista em Reestruturação de Empresas