O Espírito Empreendedor

O Espírito Empreendedor

  

Existem vários motivos que levam uma pessoa a optar por empreender. Nos últimos anos o desemprego impulsionou muitos a tentarem abrir sua própria empresa, neste sentido a chance de o negócio em questão não ir adiante é muito grande. Empreender, assim como as demais profissões é uma questão de vocação.

Neste artigo, quero tratar realmente do vocacionado, do espírito empreendedor. Estamos na era do compartilhamento de ideias e soluções que estão mudando nossa forma de comunicar, ver o mundo a nossa volta, nos relacionar com os outros e até mesmo a forma de consumir produtos e serviços, tais fatos despertam de forma latente as pessoas que estão dispostas a empreender.

Não se trata de uma tarefa fácil, mas quando gostamos do que fazemos, o desgaste do dia a dia, os desafios a serem superados, acontecem de maneira natural. Um verdadeiro empreendedor precisa ter visão ampla e capacidade de executar o que se propõe. Determinação e foco são essenciais para o sucesso do negócio e óbvio uma boa dose de ousadia.

De um modo geral, são pessoas decididas, corajosas, capazes de correr riscos calculados, persistentes, otimistas, que estão sempre “ligados” e quando enxergam uma oportunidade, agem. É claro que se uma pessoa detém todas essas características, ou parte delas, tem praticamente uma credencial para o sucesso. Seja por vocação ou por necessidade, empreender atualmente tornou-se uma questão de sobrevivência, inclusive para as empresas com características tradicionais.

Como mencionei no início deste texto, tudo está mudando e numa velocidade incrível, não existe a opção “não acompanhar” para quem deseja continuar no mercado. Trata-se de entender, preparar e seguir o ritmo. Empreender é planejar, ter uma boa visão de mercado e a capacidade de ocupar nichos pouco explorados com uma demanda reprimida.

E quando falo em preparação digo no sentido literal mesmo, é preciso estar pronto para os desafios diários que serão apresentados. Se você faz a “lição de casa” e estuda cautelosamente o caminho a ser trilhado, saberá que toda a parte de desenvolvimento e operação, por exemplo, podem ser produzidas com a ajuda de parceiros capacitados escolhidos a dedo. E sabe o que isso significa na prática? Que sua preocupação para criar um negócio bem-sucedido deve estar na implementação e distribuição desse modelo para o público certo, da forma certa.

Para os que priorizam ou preferem horários fixos, segurança financeira, férias planejadas e demais rotinas diárias de uma empresa, não venham para o mundo do empreendedorismo. Acordar cedo, dormir tarde, ajustar o fluxo de caixa para honrar suas contas e as da empresa, entender e planejar o melhor regime tributário para seu negócio, abrir mão do 13 salário, 1/3 das férias, FGTS, enfim, o mundo para quem empreende é muito diferente de quem não o faz.

E sim, é muito gratificante! Eu poderia afirmar com convicção que ao empreender você pode conquistar independência financeira (médio/longo prazo), liberdade geográfica, gestão do tempo e flexibilidade de horários, não ficar refém de uma rotina ou monotonia, proporcionar a solução de um problema, gerar impacto social e acima de tudo, fazer o que realmente nos dá prazer.

Mas o fato é que uma vez “picado” pela paz inquieta e vontade de fazer mais e de forma diferente, não tem volta. Não existe “ex-empreendedor”, sempre haverá novas ideias e novas oportunidades para quem consegue enxergá-las.

 

BENITO PEDRO VIEIRA SANTOS

Especialista em Reestruturação de Empresas